Sexta-Feira, 29 de Dezembro de 2017, 14h:41

Tamanho do texto A - A+

MPE oferece denuncia contra quatro acusados de assassinar prefeito de Colniza

Por: FELIPE LEONEL

O Ministério Público de Mato Grosso (MPE) ofereceu denúncia contra os supostos autores e mandantes do assassinato do prefeito de Colniza (114 km de Cuiabá), Esvandir Antonio Mendes. Esvandir foi assassinado em sua caminhonete com vários tiros no começo da noite do dia 15 de dezembro, na BR-174, próximo ao município de Colniza.  

 

presos colniza.jpg

 

Foram denunciados, os acusados de serem mandantes do crime, o empresário Antônio Pereira Rodrigues Neto e a esposa, Yana Fois Coelho Alvarenga. Somado a isso, Zenilton Xavier de Almeida e Welison Brito Silva também foram denunciados pela entidade como os executores do crime. Eles teriam recebido R$ 5 mil cada pelo assassinato do chefe do Executivo Municipal.

 

A denúncia é assinada pelos promotores  Leandro Túrmina e Willian Oguido Ogama. Eles apontam que Antonio Pereira e Yana Alvarenga elaboraram o plano para matar Esvandir, mais conhecido como “Vando”, por “motivos pessoais e políticos”. Entretanto, não explica os detalhes dos motivos.

 

Um menor também teria participado da trama, mas não foi denunciado.

 

“A denunciada Yana e seu companheiro/denunciado Antonio promoveram, organizaram, cooperaram e dirigiram a atividade dos outros denunciados, já que Zenilton e eram conhecidos do casal e foram contratados para a execução da referida infração penal. Além disto, o adolescente J.V.O.P também atuou a mando em obediência às ordens daqueles”, diz. 

 

O MPE pediu ainda a manutenção da prisão preventiva de Zenilton, Antônio e Welison. Soliticou, também,  a conversão da prisão temporária de Yana para preventiva.  

 

Os quatro são irão responder pelos crimes de  homicídio por motivo torpe, homicídio tentado, promessa de recompensa e recursos que impossibilitou a defesa da vítima, entregar veículo para pessoa não habilitada, receptação de arma de fogo e produto de roubo, além de corrupção de menores. (Com informações do MidiaNews).

 

O crime 

O prefeito conduzia uma Toyota SW4 preta quando foi interceptado pelos criminosos, em um veículo SUV, preto, cerca de 7 quilômetros da entrada da cidade. O veículo foi ao encontro da caminhonete, momento que foram efetuados vários disparos contra o prefeito Esvandir que ainda conseguiu dirigir, mas acabou morrendo no perímetro urbano, na BR 174, esquina com a Rua 7 de Setembro. Outros dois disparos feriram o secretário Admilson, sendo um na perna esquerda e outro nas costas. O fato ocorreu por volta das 18h40, de sexta-feira (15).

 

Os autores foram presos um dia após o crime, em uma estrada entre os municípios de Juruena e Castanheira (880 e 735 km de Cuiabá), respectivamente. Eles fugiam em um veículo Fiat Uno cinza, quando foram abordados, cerca de 20 km após Castanheira, por uma viatura do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), da Regional da Polícia Civil de Juína, que desde o crime, no começo da noite de sexta-feira (15), auxilia as investigações. 

 

Dentro do automóvel foram apreendidos R$ 60 mil, em espécie. O dinheiro estava em um pacote do Banco do Brasil, sendo um montante de R$ 50 mil, e outros dois volumes de R$ 10 mil.  De acordo com os presos, foram usadas quatro armas de fogo no crime, mas somente um revólver calibre 38 e um fuzil 22, com numeração raspada, foram encontrados dentro de uma bolsa deixada no mato, pela Polícia Militar. Duas pistolas, que segundo as informações levantadas, também foram usadas, teriam sido jogadas dentro de um rio.

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto