Quinta-Feira, 11 de Janeiro de 2018, 11h:00

Tamanho do texto A - A+

Tribunal de Justiça cobra do governo do Estado repasse de duodécimo atrasado

Por: JESSICA BACHEGA

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), cobra do governo do Estado o repasse de valores do duodécimo pendentes ainda de 2017. O Judiciário publicou na noite desta quarta-feira (10), uma nota apontando os repasses feitos e o dinheiro pendente.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

rui ramos/pedro taques

 Presidente do TJ, Rui Ramos acompanhado do governador Pedro Taques

Segundo o TJ, foram recebidas R$ 148, 891,280.23 em duas parcelas do duodécimo em dezembro. Os valores são referentes ao dinheiro atrasado desde outubro. Os repasses foram feitos no dia 1° e 28.

 

Os valores recebidos são destinados a manutenção das 79 comarcas existentes no  Estado.

 

“Em relação a 2017, restam pendentes ainda o repasse de parte do duodécimo referente ao mês de novembro, bem como totalidade do duodécimo referente ao mês de dezembro”, diz trecho da nota. Não foi divulgado o valor que ainda está pendente de recebimento.

 

Em uma situação crítica por falta de dinheiro, a Defensoria Pública buscou o Supremo Tribunal de Federal (STF) para conseguir receber o valor em atraso do duodécimo que chega a cerca de R$ 20 milhões. Sem o repasse, a Defensoria fechou 15 núcleos no Estado.

 

Em 2016, também houve dificuldade para o recebimento dos recursos e o governo parcelou em sete vezes a distribuição aos Poderes. Fato que gerou atrados nos salários dos servidores. 

 

Confira nota

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso esclarece que recebeu, em dezembro de 2017, R$ 148.891.280,23 como repasse de duodécimo oriundo do Poder Executivo Estadual, assim distribuídos:

 

- Em 1º de dezembro de 2017 a instituição recebeu duodécimo destinado ao custeio das despesas com pessoal e extra pessoal referente ao mês de outubro;

 

- Em 28 de dezembro de 2017 foi feito repasse parcial referente ao mês de novembro, para o custeio parcial das despesas com pessoal e o custeio integral com as despesas extra pessoal.

 

Os valores recebidos são empregados no custeio das atividades do Poder Judiciário de Mato Grosso e na realização de investimentos necessários ao aprimoramento dos serviços forenses, tanto na sede do Tribunal de Justiça quanto nas 79 comarcas.

 

Em relação a 2017, restam pendentes ainda o repasse de parte do duodécimo referente ao mês de novembro, bem como totalidade do duodécimo referente ao mês de dezembro.

 

Leia também

TCE anuncia que só pagará salário dos servidores após receber duodécimo

Defensoria aciona STF para receber duodécimo atrasado do governo

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto