Segunda-Feira, 04 de Dezembro de 2017, 18h:30

Tamanho do texto A - A+

Suspeito de ser mandante de assassinato de personal pode estar escondido em São Paulo

Por: LUIS VINICIUS

O empresário Guilherme Dias Miranda, 34 anos, suspeito de ser o mandante do assassinato do personal trainer Danilo de Souza Campos, de 28 anos, está escondido em São Paulo. De acordo com uma fonte do HiperNotícias, o suspeito faz parte de uma grande quadrilha de estelionatários e teria dado golpes em hotéis da cidade de Campo Grande (MS), antes de chegar a capital paulista.  

 

nego montagem.jpg

 

Guilherme teria saído de Cuiabá para a capital de Mato Grosso do Sul usando nomes falsos. Essa também seria uma das maneiras dele manter o sigilo de seu verdadeiro nome. Ao chegar em Campo Grande, ele teria se hospedado em um hotel da cidade utilizando outra carteira de identidade. Passado algum tempo (o informante não disse os dias exatos), o suspeito teria pago todas as diárias do estabelecimento com um cartão de crédito de um laranja, fato que chegou até os policiais da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Desta forma, os agentes acionaram os policiais de Campo Grande, que realizaram uma força-tarefa para prendê-lo ainda no hotel em que ele estava hospedado. No entanto, quando os policiais chegaram ao estabelecimento, Guilherme já havia fugido em direção ao Estado de São Paulo.

 

Todas as informações foram repassadas aos agentes da Delegacia de Capturas de SP. Os policiais, ao receberem esses detalhes, tentaram localizar o suspeito, no entanto, devido o fato de Guilherme usar o nome de terceiros, a prisão ainda não pôde ser concluída.Diante disso, uma verdadeira força tarefa dos três estados estão trabalhando em conjunto na caçada do suspeito. Por questões de sigilo, a delegada Alana Cardoso, responsável pelo inquérito em Cuiabá, preferiu não comentar as informações. 

 

danilo montagem

Personal foi executado com cinco tiros ao sair da academia

A reportagem não conseguiu contato com o advogado de Guilherme. Ele foi procurado e até a publicação da matéria ele não retornou ou atendeu as ligações. 

 

Suspeita Minas Gerais

 

A fonte ainda disse à reportagem ainda que existe a possibilidade de que Guilherme possa estar planejando ir para o Estado de Minas Gerais. A informação, contudo, ainda não foi confirmada.

 

A investigação

 

O homicídio de Danilo chamou atenção da população cuiabana por ter motivações passionais. Guilherme, que está foragido, é professor de Capoeira e também seria empresário em Cuiabá. Conforme os autos, ele teria contratado dois homens para executar o personal trainer quando ele saísse da academia, onde trabalhava no bairro Jardim Cuiabá. O suspeito teria ficado com ciúmes após ficar sabendo de uma suposta relação amorosa entre Danilo e a sua esposa e, por isso, encomendou a morte do personal.

 

Por ser o único suspeito, o professor teve o mandado de prisão temporária (30 dias), decretado pela 12ª Vara Criminal, Cuiabá. A delegada que coordena as investigações, Alana Cardoso, foi até a casa do professor, localizada no Condomínio Rubi, na Rodovia Mario Andrezza, em Várzea Grande, mas não consegui localizá-lo. Durante a permanência dos policiais na residência, a esposa de Guilherme se apresentou. 

 

Pivô nega

 

A esposa de Guilherme, considerada pivô do assassinato do personal, prestou depoimento duas vezes na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Cuiabá. A delegada Alana, disse que a depoente negou qualquer tipo de relacionamento extraconjugal com Danilo e ressaltou por várias vezes que não teve qualquer envolvimento com o personal.

 

“A esposa do Guilherme já foi ouvida duas vezes na delegacia e ele nega que tenha tido qualquer envolvimento extraconjugal com a vítima. Porém, ela confere que o conhecia da academia e que ele era instrutor da academia onde ela malhava. Mas, é importante frisar que a moça nega então nós só temos alguma referência de alguns amigos da vítima que souberam por ele, Danilo, que ele tinha algum envolvimento amoroso com ela. Então, sem uma investigação mais profunda, a gente não consegue precisar a profundidade do relacionamento e o tempo, nós precisamos de prova pericial para isso”, disse a delegada à reportagem.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto