Segunda-Feira, 16 de Abril de 2018, 11h:33

Tamanho do texto A - A+

Progressistas entrega diretrizes e promete apoio a Fagundes

Por: FELIPE LEONEL

O presidente do Progressistas em Mato Grosso, deputado federal Ezequiel Fonseca, entregou ao senador Wellington Fagundes (PR), pré-candidato ao Governo do Estado, um plano de diretrizes do partido para o futuro de Mato Grosso. No encontro, realizado nesta segunda-feira (16), Fonseca também garantiu o apoio do Progressistas a Fagundes.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

ezequiel fonseca/wellington fagundes

 

De acordo com Ezequiel, estão apoiando Fagundes o PP; PR; MDB; PTB e PV. Participaram do encontro, a pré-candidata ao Senado Federal, presidente da Associação das Empresa do Distrito Industrial, Margareth Buzetti, além do senador Wellington Fagundes, candidatos a deputado estadual da agremiação e presidentes municipais. 

 

"Trazemos aqui todos aqueles sonhos que não conseguimos realizar, que seja realizado a partir de 2019. Por isso, entrego em vossas mãos esse documento, construído por todos os Progressistas aqui no Estado. Entrego, com muito carinho e respeito ao próximo governador de MT", afirmou Ezequiel Fonseca durante o encontro de lideranças da sigla.

 

Fonseca prometeu, entretanto, respeitar a decisão partidária caso opte por apoiar a reeleição do governador Pedro Taques (PSDB). “Nós não devemos, em hipótese alguma, apoiar Taques. Agora eu sou democrático e respeito a opinião dos meus correligionários. Mas se me perguntarem, a minha orientação é manter distância do governador Pedro Taques”, disse.

 

Ainda segundo Fonseca, o Progressistas irá entregar o plano, intitulado de “Plano de Bem-Estar”, aos presidentes de outros partidos para apresentarem suas contribuições. De acordo com o presidente, os progressistas não irão entrar em uma ‘barca furada’ e o candidato a ser apoiado deverá também concordar com o plano de diretrizes da sigla.

 

Já o senador Wellington Fagundes garantiu sua pré-candidatura ao Governo do Estado e afirmou estar conversando para ampliar o arco de alianças. Ele disse esperar o apoio do PSB, partido presidido pelo ex-secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi; PSD, presidido pelo ex-vice-governador Carlos Fávaro.

 

“Estamos avançando nas conversas com o PSD, o PSB, mas o núcleo principal são esses cinco primeiros [PP; PR; MDB; PV e PTB]. Mas esse é um trabalho que só se encerra nas convenções, lá para o final de julho. Vamos construir uma aliança forte para trazer a confiabilidade da população”, afirmou o pré-candidato ao Palácio Paiaguás.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei

Leia mais sobre este assunto