Sexta-Feira, 09 de Fevereiro de 2018, 08h:20

Tamanho do texto A - A+

Vereadores cobram informações sobre obstrução à Justiça na CPI do Paletó

Por: FELIPE LEONEL

Os vereadores de oposição apresentaram, nessa quarta-feira (7), diversos requerimentos solicitando mais informações sobre o ofício, supostamente, recebido por uma funcionária do gabinete do vereador e relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Paletó, Adevair Cabral (PSDB). O ofício pedia o adiamento da oitiva de Valdecir Cardoso de Almeida, responsável por instalar as câmeras que flagraram o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) recebendo dinheiro.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

gilberto figueiredo

 Vereador Gilberto Figueiredo

Valdecir, que é servidor da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), alegou motivos de férias para não comparecer na primeira reunião do ano da CPI do Paletó, realizada nesta quarta. O servidor, entretanto, não anexou nenhum documento comprovando a viagem alegada, como passagens aéreas, reserva em hotéis ou aviso de férias. O vereador Diego Guimarães (PP) requisitou informações ao Parlamento Estadual para verificar se está mesmo em férias.

 

Já o vereador Gilberto Figueiredo (PSB), cobrou explicações da servidora acusada de ter recebido o documento, identificada como Sandra Regina. O parlamentar quer saber quem foi a pessoa que trouxe o documento ao gabinete de Adevair, pois não foi Valdecir Cardoso. Além disso, os parlamentares encontraram divergências nas assinaturas do documento, supostamente, protocolado no gabinete de Adevair e um documento anterior.

 

“É preciso apontar quem foi a pessoa que protocolou esse documento nessa Casa. Não caiu aqui de paraquedas, deve ter algum cidadão e não foi o convocado que esteve aqui para protocolar isso, um documento com data do dia 29 de janeiro. E só aparece nas vésperas da CPI. Estou apresentando o requerimento para respeitar os vereadores dessa Casa, estamos aqui para fazer um trabalho sério”, afirmou Figueiredo.

 

Por fim, os parlamentares aprovaram um requerimento solicitando o deferimento de um pedido de condução coercitiva de Valdecir e obriga-lo a depor na CPI. O pedido deve ser encaminhado ao Ministério Público para receber parecer e encaminhado para um juiz criminal. A data do próximo depoimento ainda não foi definida. “O pedido não veio com respaldo de passagem para comprovar isso, ele foi devidamente intimado, poderia ter pedido a antecipação da data”, disse. 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei