Terça-Feira, 14 de Maio de 2019, 12h:25

Tamanho do texto A - A+

Polícia Civil encontra segunda ossada enterrada de mulher desaparecida

Por: LUIS VINICIUS

Policiais civis da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) localizaram no início da tarde desta terça-feira (14), uma outra ossada, em frente a uma residência no bairro Nova Conquista, em Cuiabá. Os restos mortais seria de uma mulher que estava desaparecida desde o ano de 2014.

HiperNotícias

ossadaa.jpg

 

O suspeito de ter matado e enterrado a vítima é Adilson Pinto da Fonseca, 48 anos. O homem está preso e deverá responder por duplo homicídio e ocultação de cadáver. Os restos mortais seriam de Talissa de Oliveira Ormond, 22 anos, ou Benildes Batista de Almeida, 39 anos.

Talissa está desaparecida desde julho de 2013. Ela era namorada do suspeito. Já a segunda vítima, Benildes desapareceu em maio de 2014, seria sua ex-mulher.

Na tarde de segunda-feira (13), os policiais localizaram uma primeira ossada na frente a residência. Os agentes foram ao local para cumprirem um mandado de busca e apreensão. No endereço, o suspeito foi questionado e disse onde enterrou os dois corpos

Pouco tempo depois das buscas, os policiais localizaram a primeira ossada. Os trabalhos continuaram durante todo o dia, mas os restos mortais da outra vítima não foram localizados. Já Adilson foi preso em flagrante. Ele foi encaminhado à sede da DHPP para prestar depoimento ao delegado responsável pela investigação Fausto freitas.

Já na manhã desta terça-feira (14), os policiais receberam uma nova informação e foram ao local. Depois de algumas horas de buscas, a segunda ossada foi localizada.

Em seguida, os restos mortais serão levados à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) para confirmarem se as ossadas são de Benildes e Talissa.

Adilson será encaminhado à audiência de custódia.

Os sumiços

A vítima Talissa de Oliveira Ormond, 22 anos, teve o desaparecimento comunicado em 8 julho de 2013, cerca de quatro dias depois de sumir. A mãe da moça contou que ela tinha saído para trabalhar em uma empresa de telefonia e não mais deu notícias. Na empresa, a chefe da vítima informou à mãe que naquele dia ela tinha trabalhado o dia todo e quando saiu havia um rapaz moreno em uma motocicleta a espera dela. Mas ninguém a viu sair com ele. No dia seguinte, a vítima teria ligado na empresa pedindo socorro. Depois não deu mais notícias.

A segunda vítima,  Benildes Batista de Almeida, 39 anos, desapareceu em maio de 2014. Ela morava na cidade de Asturia, na Espanha, e tinha voltado ao Brasil, onde passou cinco meses com a família. A filha dela entrou em contato com a Polícia Federal, que não identificou que ela havia saído do Brasil. Ela era ex-mulher do suspeito.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei







Mais Comentadas



ESTÚDIO HIPER
16º FESTIVAL DAS FLORES CUIABÁ 2019

INFORME PUBLICITÁRIO - GOV Conscientização no Trânsito

Prefeitura de VG - Aniversário de Várzea Grande 152 anos