Segunda-Feira, 25 de Dezembro de 2017, 09h:29

Tamanho do texto A - A+

Polícia de Colniza prende médica e adolescente acusados de participar de morte de prefeito

Por: LUIS VINICIUS

A Polícia Civil prendeu na tarde de domingo (24), a médica Yana Fois Coelho Alvarenga, suspeita de estar envolvida no assassinato do prefeito da cidade de Colniza (1.065 km de Cuiabá), Esvanir Antônio Mendes (PSB), no fim da tarde do dia 15 de dezembro. Além da médica, um menor também foi apreendido suspeito de participado da execução. As informações foram confirmadas à reportagem pelos familiares de “Vando”, como era conhecido o prefeito. 

 

presos colniza.jpeg

 

De acordo com as informações, a médica é companheira do empresário, Antônio Pereira Rodrigues Neto, que é apontado como o mandante do crime. Ele teria contratado dois homens para cometer o crime pelo valor de R$ 60 mil.

 

A médica trabalhava na rede municipal de saúde e teria dado cobertura ao seu esposo. Segundo informações, o veículo utilizado pelos criminosos para fugir após a execução era de Yana.

 

A médica e o adolescente foram levados à delegacia de polícia para prestarem depoimento ao delegado responsável pela investigação, Edson Pick. Sobre a participação do menor de idade, o delegado não quis aprofundar sobre sua participação no caso. 

 

“Não posso dar detalhes do caso. Ainda estou trabalhando e as investigações ainda não foram concluídas”, disse ao HiperNoticias.

 

O crime

 

O prefeito conduzia uma Toyota SW4 preta quando foi interceptado pelos criminosos, em um veículo SUV, preto, cerca de 7 quilômetros da entrada da cidade. O veículo foi ao encontro da caminhonete, momento que foram efetuados vários disparos contra o prefeito Esvandir que ainda conseguiu dirigir, mas acabou morrendo no perímetro urbano, na BR 174, esquina com a Rua 7 de Setembro. Outros dois disparos feriram o secretário Admilson, sendo um na perna esquerda e outro nas costas. O fato ocorreu por volta das 18h40, de sexta-feira (15).

 

Os criminosos foram presos em uma estrada entre os municípios de Juruena e Castanheira (880 e 735 km de Cuiabá), respectivamente. Eles fugiam em um veículo Fiat Uno cinza, quando foram abordados, cerca de 20 km após Castanheira, por uma viatura do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), da Regional da Polícia Civil de Juína, que desde o crime, no começo da noite de sexta-feira (15), auxilia as investigações.

 

Dentro do automóvel foram apreendidos R$ 60 mil, em espécie. O dinheiro estava em um pacote do Banco do Brasil, sendo um montante de R$ 50 mil, e outros dois volumes de R$ 10 mil.

 

Segundo o delegado, Caio Fernando Álvares de Albuquerque, da Delegacia de Roubos e Furtos de Cuiabá, o dinheiro encontrado no carro pertence ao suspeito  Antônio Pereira Rodrigues Neto, que é empresário em Colniza do ramo de rede de combustível e táxi aéreo. "Dois deles confessam e Antônio permaneceu em silêncio, disse.

 

De acordo com os presos, foram usadas quatro armas de fogo no crime, mas somente um revólver calibre 38 e um fuzil 22, com numeração raspada, foram encontrados dentro de uma bolsa deixada no mato, pela Polícia Militar. As armas estavam cerca de 15 km de Colniza, localidade onde também foi abandonada a caminhonete da ação criminosa. Duas pistolas, que segundo as informações levantadas, também foram usadas, teriam sido jogadas dentro de um rio. O Corpo de Bombeiros foi acionado para efetuar buscas a fim de localizá-las.

 

As armas passarão por perícia na Perícia Oficial Técnica de Identificação (Politec) e o veículo dos criminosos foi periciado no sábado (16).

 

O suspeito Antônio Pereira Rodrigues Neto é morador de Colniza e arregimentou os dois comparsas oriundos do Pará para o crime. Antonio é apontado como o mandante e também participou da execução do prefeito.

 

O delegado Edison Pick, coordenou a parte operacional dos trabalhos que culminaram na prisão dos autores.

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto